HOME > PÓS GRADUAÇÃO > ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Pós Graduação / Atividades Complementares

Atividades do docente fora do âmbito do Programa

O Prof. Dartiu Xavier da Silveira constitui referência reconhecida nacional e internacionalmente no campo de tratamento e prevenção das Dependências Químicas, participando de órgãos governamentais e internacionais em cargos de assessoria e consultoria . É coordenador- fundador do Programa de Orientação e Assistência Dependentes (PROAD) deste departamento, centro de referência reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU-UNDCP) em 1994, pelo Ministério da Saúde (Brasília)em 1988 e pela Secretaria Nacional Anti-drogas (SENAD-Brasília) em 1998. O Curso de capacitação de profissionais de saúde na área de dependências químicas do PROAD a partir de 2001 passou a ser oferecido pela Pro-reitoria de Extensão da UNIFESP. O Proad disponibilizou através do site da UNIFESP um Guia Informativo sobre Drogas dirigido à população geral.

A professora Isabel Bordin é Psiquiatra da Infância e Adolescência, Chefe do Setor de Psiquiatria Social da UNIFESP-EPM e Pesquisadora da Rede Internacional de Epidemiologia Clínica (INCLEN). É membro do Conselho Científico do Projeto "Grand Challenges in Global Mental Health", uma iniciativa do U.S. National Institute of Mental Health (NIMH), Global Alliance for Chronic Diseases em colaboração com o Wellcome Trust, McLaughlin-Rotman Centre for Global Health e London School of Hygiene and Tropical Medicine. Esse Projeto tem por objetivo identificar as grandes barreiras mundiais para o avanço da pesquisa e assistência nas áreas de saúde mental, doenças neurológicas e problemas relacionados ao uso de substâncias psicoativas. É investigadora principal no estudo colaborativo entre três universidades federais brasileiras e a Columbia University (EUA): "Uso de Serviços por Crianças e Adolescentes com Problemas de Saúde Mental Atendidas pelo Programa de Saúde da Família" (financiamento CNPq - Processo: 575350/2008-3). É investigadora principal no Brasil no estudo colaborativo com a Universidade de Tromso (Noruega): "Violence and Child Rights in Brazil: Can the Cycle of Violence Be Broken" (financiamento do Norwegian Research Council). É colaboradora em pesquisas vinculadas ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Psiquiatria do Desenvolvimento para Crianças e Adolescentes (Institutos de Ciência e Tecnologia & Inovação do CNPq - Edital 15/2008): (1) Estudo Epidemiológico da Saúde Mental do Escolar Brasileiro, envolvendo amostra representativa nacional de escolares, e (2) Esquizofrenia e Transtorno Bipolar: Pródromos, Genes Candidatos, Endofenótipos e Intervenção Precoce. Foi coordenadora no Brasil do Projeto Internacional de Violência Doméstica (World Studies of Abuse in the Family Environment - WorldSAFE) com financiamento da FAPESP (2001-2004) e do projeto colaborativo com universidades canadenses "Risk Factors, Pathways and Outcomes for Youth Released from Juvenile Detention Centres in São Paulo" com financiamento da Canadian International Development Agency (2003-2006). Também coordenou o Estudo de Enfrentamento da Violência Intrafamiliar Contra Crianças e Adolescentes em Três Municípios Brasileiros, vinculado ao Projeto "Violência e Saúde Mental" financiado pelo MCT/CNPq - Instituto do Milênio (2005-2008). Foi Consultora em Epidemiologia Clínica na Área de Saúde Mental da Infância no Projeto "Prevalência de Transtornos Psiquiátricos em Crianças e Adolescentes Brasileiros e Fatores de Risco Associados", estudo de Robert Goodman (Institute of Psychiatry at the Maudsley, Londres) e Bacy W. Fleitlich (Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), financiado pelo Wellcome Trust. Nos últimos 20 anos, foi responsável pelo desenvolvimento de versões brasileiras de instrumentos de rastreamento para problemas de saúde mental na infância e adolescência e orientou doutorado para o desenvolvimento da versão brasileira da K-SADS-PL (Schedule for Affective Disorders and Schizophrenia for School-Age Children: Present and Lifetime Version) e estudo de suas propriedades psicométricas. É revisora de periódicos nacionais (Revista Brasileira de Psiquiatria, Revista de Saúde Pública, Cadernos de Saúde Pública - FIOCRUZ) e internacionais (Journal of Epidemiology and Community Health, Pan American Journal of Public Health", Child Abuse & Neglect).

O Prof. Jair Mari foi editor da Revista Brasileira de Psiquiatria e, em conjunto com o Prof. Eurípedes Miguel da USP, desenvolveram projeto de renovação do corpo editorial da revista, para atingir nível internacional (a RBP foi indexada no Medline e no ISI neste período, atingindo recentemente a fração de impacto, 1.4). O Prof. Jair Mari passou um ano como Professor Visitante do Instituto de Psiquiatria, Kings College, desenvolvendo atividades didáticas e de pesquisa. Mantém o vínculo de Honorary Visiting Professor no Kings College. Na World Psychiatry Association faz parte de duas "task forces", uma para assessorar Editores de Revistas Internacionais na área de Psiquiatria (Mari JJ, Patel V, Kieling C, Razzouk D, Tyrer P, Herrman H. The 5/95 gap in the indexation of psychiatric journals of low- and middle-income countries. Acta Psychiatr Scand. 2010 Feb;121(2):152-6), e outra para Avaliar Organização de Serviços de Saúde Mental nas diferentes regiões geográficas do mundo. Faz parte do Conselho Editorial do Internacional Journal of Psychiatry in Medicine and The International Journal of Mental Health Systems. É membro do Comitê de Expertos do Lancet para o "Global Mental Health Movememt". Foi convidado para elaborar um pacote para tratamento de esquizofrenia nos países em desenvolvimento em série do Plos Medicine (Mari JJ, Razzouk D, Thara R, Eaton J, Thornicroft G. Packages of care for schizophrenia in low- and middle-income countries. PLoS Med. 2009 Oct;6(10):e1000165). Em fevereiro de 2010, participou de um treinamento a psiquiatras na Etiópia, Universidade Adis Ababa, no uso do programa para tratamento da esquizofrenia. Em 2010 participou da supervisão a editores de revistas asiáticas de psiquiatria, na cidade de Beijing, que sediou o Congresso da World Psychiatric Association.

O Prof. Luiz Antonio Nogueira Martins foi Conselheiro Membro do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, com contribuição significativa para o aprimoramento dos aspectos éticos do exercício profissional da medicina e da especialidade em psiquiatria; participou ativamente, em conjunto com o Prof. Ronaldo Laranjeira, da criação da Rede de Apoio a Médicos com Dependência Química, serviço pioneiro no Brasil (Palhares-Alves HN, Nogueira-Martins LA, Laranjeira RR. A pioneering experience in Brazil: the creation of a support network for alcohol and drug dependent physicians: a preliminary report. Revista Brasileira de Psiquiatria, 2007; 29(3):258-261). Após apresentar, em 1994, a primeira tese de doutorado no Brasil sobre Residência Medica ("Residência Médica:um estudo prospectivo sobre dificuldades na tarefa assistencial e fontes de estresse"), o referido professor, no exercício da Chefia do Departamento de Psiquiatria, criou em 1996, com apoio da reitoria da UNIFESP, um serviço de atenção à saúde mental dos médicos residentes. Serviço pioneiro no Brasil, denominado NAPREME (Núcleo de Assistência e Pesquisa em Residência Médica). Inicialmente, o NAPREME havia sido concebido e estruturado para o atendimento aos médicos residentes. Com o passar do tempo , o serviço passou a ser procurado por pós-graduandos e a partir de 1997 foi ampliado e passou a atender também aos alunos do curso de pós-graduação da UNIFESP. A criação desse serviço de assistência psicológica e psiquiátrica a residentes de medicina e estudantes de pós-graduação foi também iniciativa institucional pioneira no Brasil.
Tem participado ativamente de eventos na Associação Brasileira de Educação Médica com contribuições importantes na área do estresse psicológico e ocupacional da formação e do exercício profissional em medicina. Nesta área de atuação, merece ser destacado artigo publicado em 2009 na Revista Brasileira de Psiquiatria sobre a qualidade de vida de residentes da UNIFESP (Macedo PCM et al. Health related quality of life predictors during medical residency in a random, stratified sample of residents Rev Bras Psiquiatr 2009;31(2):119-24). Em 2009, foi aprovado pelo Comitê Científico do Projeto MUNDUS 17, vinculado ao Programa Erasmus Mundus External Cooperation Windows (EM-ECW) da União Européia, para estágio de intercâmbio docente em 2010, com bolsa, no Centro de Educação Médica da Universidade do Porto.

O Prof. Marcos T. Mercadante coordena em conjunto com a Profa. Maria da Conceição do Rosário a Unidade de Psiquiatria da Infância e Adolescência (UPIA), que hoje conta com mais de 40 profissionais médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, e com atendimento a 500 crianças/mês. Além dos estudos realizados no UPIA, como parte da formação de alunos de pós-graduação sob sua orientação (relativos à mestratos: estudos epidemiológicos, fenomenológicos, modelos animais; doutorados: neuroimagem e avaliação dos serviços de saúde e pós-doutorado: endofenótipo e genética); estão em treinamento no UPIA 20 profissionais da área de saúde, sendo 12 médicos psiquiatras. Desenvolve pesquisas principalmente dirigidas ao cérebro social utilizando diferentes metodologias como epidemiologia, neuropsicologia, genética, neuroimagem e modelos animais. Atualmente é vice-coordenador do Departamento de Psiquiatria da Infância e Adolescência da Associação Brasileira de Psiquiatria, membro da Child and Adolescent Psychiatry Section da World Psychiatry Association, consultor do Ministério da Saúde na área de Autismo e diretor de pesquisa do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Psiquiatria do Desenvolvimento para a Infância e Adolescência (INPD).

A Prof. Maria Conceição do Rosário iniciou, em parceria com o Prof. Marcos Mercadante, a Unidade de Psiquiatria da Infância e Adolescência (UPIA) que hoje conta com mais de 50 profissionais médicos, psicólogos, fonoaudiologos, e com atendimento de aproximadamente 500 crianças por mês. Foi coordenadora da UPIA nos anos de 2009 e 2010 e atualmente é coordenadora dos Ambulatórios de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) e Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) da UPIA. É membro do Consórcio Brasileiro de TOC (CTOC), grupo composto por profissionais de cinco estados brasileiros e do Consórcio Internacional de Genética do TOC (OCFGC), formado por profissionais de diversos países. Em 2009 recebeu do CNPq bolsa de produtividade em pesquisa, com o projeto: Avaliação das propriedades psicométricas da Escala Dimensional para Avaliação de Presença e Gravidade de Sintomas Obsessivo-Compulsivos (DYBOCS). É colaboradora em pesquisas vinculadas ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Psiquiatria do Desenvolvimento para Crianças e Adolescentes (Institutos de Ciência e Tecnologia & Inovação do CNPq - Edital 15/2008). Nos últimos anos, foi responsável pelo desenvolvimento, tradução e/ou validação de versões brasileiras de instrumentos de pesquisa, tais como a DYBOCS, a USP-SPS, a YGTSS, o Natural History Questionnaire, a KSADS. Em dezembro de 2008, recebeu o convite para se tornar Adjunct Professor do Child Study Center da Universidade de Yale.

O Prof. Miguel Roberto Jorge, além de ser Professor Associado do Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina/UNIFESP é também o Pró-Reitor de Graduação desta Universidade. Internacionalmente, o Prof. Jorge é membro do Painel de Especialistas em Saúde Mental da Organização Mundial da Saúde, Diretor da Associação Mundial de Psiquiatria e membro do Conselho da Associação Médica Mundial.

O Prof. Ronaldo Laranjeira é coordenador do Departamento de Dependência Química da Associação Brasileira de Psiquiatria. Consultar da Organização Mundial da Saúde e consultor do Governo do Estado de São Paulo nessa área. É coordenador do Instituto Nacional de Políticas de álcool e Drogas do CNPQ que recebeu financiamento por quatro anos para produzir pesquisas que tenham o foco nas políticas em relação ao uso de substâncias. No momento coordena inúmeros cursos de capacitação e dois cursos de especialização em Dependência Química, com mais de 500 alunos participando anualmente desses cursos.
O prof. Dr. Sergio L. Blay é Professor Associado do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Foi Chefe do Departamento de Psiquiatria da UNIFESP, coordenador do Programa de Residência Médica em Psiquiatria e membro de diversas atividades administrativas da universidade tais como a Comissão de Ética Médica e Comissão de Residência Médica entre outras. Ministra aulas no curso de graduação em medicina há mais de trinta anos. Leciona no programa de pós-graduação da UNIFESP há mais de quinze anos.Tem participado ativamente em diversos certames científicos seja no Brasil ou no Exterior. Dentro do contexto de integração das atividades interdisciplinares da UNIFESP, o prof. Dr. Sergio L Blay desenvolveu assessorias, co-orientações, projetos conjuntos, artigos publicados, com diversos departamentos e disciplinas tais como a Nefrologia, Urologia, Gastroenterologia clínica, estudos de qualidade de vida ,validação de instrumentos e intervenções não farmacológicas.

O Prof. Dr. Sergio Luis Blay foi membro da diretoria do Departamento de Psiquiatria da Associação Paulista de Medicina. Exerceu a presidência do Departamento. Participou da Associação Brasileira de Psiquiatria com membro do Departamento de Psiquiatria Geriátrica desde o ano de 1999. Foi Coordenador do Departamento de Psiquiatria Geriátrica no exercício de 2007 a 2010. É o Coordenador do Exame de Título de Especialista em Psiquiatria Geriátrica pela Associação Brasileira de Psiquiatria de 2007 até o presente momento. O professor presta assessoria a vários órgãos de fomento como FAPESP , CNPq entre outros e para diversas revistas científicas no Brasil e exterior. Participou e participa do corpo editorial de revistas científicas especializadas como o International Psychogeriatrics e Aging & Mental Health. Foi editor da atualmente denominada Revista Brasileira de Psiquiatria.

A profa. dra. Vanessa C. Abílio tem como linha de pesquisa o uso e desenvolvimento de modelos animais para o estudo da neurobiologia de transtornos psiquiátricos e dos mecanismos de ação de fármacos utilizados em suas terapêuticas. A utilização de modelos animais soma-se aos estudos clínicos do grupo no sentido de promover uma interface entre a pesquisa clínica e a básica, permitindo que uma abordagem translacional possa ser aplicada. Esses modelos animais possibilitam uma avaliação de aspectos tanto comportamentais quanto neuroquímicos e moleculares dos transtornos psiquiátricos. A fim de aprofundar a investigação da fisiopatologia e terapêutica dos transtornos psiquiátricos estudados, a dra. Vanessa realiza uma parceria com o Departamento de Radiologia da Universidade de Chicago para desenvolvimento e aplicação de técnicas de neuroimagem em modelos animais.

A Professora Vanessa Cítero é Membro da Academy of Psychosomatic Medicine (USA) (www.apm.org) e Pesquisadora do projeto PiSCES (Pain in Sickle Cell Epidemiologic Study), da Virginia Commonwealth University.

Você está em: Departamento de Psiquiatria

Copyright © 2012, Universidade Federal de São Paulo
Direitos Autorais | Privacidade | Desenvolvido por Predicado
 
Endereço: Rua Borges Lagoa, nº 570 – Vila Clementino, São Paulo – CEP:04038-020
Contato: (11) 5576.4990 – Fax. (11) 5571.7254
Horário de funcionamento: Segunda à sexta, das 8h às 17h.